Aquecimento Global: entre a Ciência e a Política

DestacadoAquecimento Global: entre a Ciência e a Política

O termo Global Warming (Aquecimento Global) foi cunhado inicialmente para se referir a uma série de eventos físicos neste complexo sistema termodinâmico que chamamos de Terra, que tem potencial de alterar a formação do planeta e colocar em sério risco as condições de vida para nós, seres humanos, assim como muitas outras espécies. Com exceção dos cálculos termodinâmicos mais específicos e da compreensão dos processos físico-químicos, não é muito mais complexo do que termodinâmica básica e um pouco de química e biologia – mas levou algum tempo para se estabelecer porque é assim que a ciência funciona: com levantamento de hipóteses e coleta de dados.

O processo de coleta de dados atmosféricos e climáticos levou alguns anos e confirmou a correlação entre as mudanças climáticas observadas e a fase de industrialização das sociedades humanas – unida a certos componentes químicos que reagem de forma específica com alguns gases de nossa atmosfera, como o ozônio, por exemplo, que é essencial para garantir que uma parte danosa da radiação solar seja absorvida ou dispersada antes de chegar até camadas mais baixas da atmosfera e, em último caso, até a superfície.

climate change
Dados coletados por diversas agências de forma independente. Não é uma questão de opinião.

Essas mudanças provocam alterações na energia interna deste grande sistema termodinâmico que é o nosso planeta, Continuar lendo “Aquecimento Global: entre a Ciência e a Política”

Anúncios

Trump lançou mesmo a “Mãe de Todas as Bombas” contra o Afeganistão?

Trump lançou mesmo a “Mãe de Todas as Bombas” contra o Afeganistão?

Minhas opiniões sobre o Trump não são segredo, já apontei pontualmente várias das razões pelas quais eu acho ele um péssimo presidente e uma pessoa pública ainda pior.

Porém… as notícias sobre “a mãe de todas as bombas” são clickbait e exagero, se aproveitando da raiva que a maioria das pessoas já tem dele e criando uma imagem exagerada a seu respeito. O grande problema com esse tipo de abordagem é que diminui a credibilidade das críticas reais que devem ser feitas. Assim, acho importante termos cuidado para pautar nossas opiniões em fatos, não anedotas ou manchetes emotivas.

A tal bomba que estão noticiando como “mãe de todas as bombas” é no máximo a criancinha mais velha na creche dos estalinhos – o que, quando o assunto são bombas, segue tendo grande poder destrutivo. A verdadeira MÃE de todas as bombas, como eu disse no meu vídeo sobre a Bomba H, é a Tsar Bomba russa, que tem uma potência de até 50 MT. A bomba lançada por Trump contra a região do Afeganistão tem uma potência de até 20T.

1Mt = 1000 kt = 1000. 1000 t.
1 Tsar Bomba = 2.500.000 GBU-43

tsar_photo11
Esse é o impacto de uma versão REDUZIDA da Tsar Bomba russa, a real “Mãe de todas as bombas”

Ou seja, o que está sendo noticiado como a “mãe de todas as bombas” e depois sutilmente corrigido nos subtítulos como “a mais potente bomba não-nuclear” equivale a, na verdade, 0,00004% da Mãe de todas as bombas. Procurei saber Continuar lendo “Trump lançou mesmo a “Mãe de Todas as Bombas” contra o Afeganistão?”

Trump e a Ciência: Por que o Conservadorismo não é uma solução para o Brasil

Trump e a Ciência: Por que o Conservadorismo não é uma solução para o Brasil

A Administração Trump ordenou que a Agência de Proteção Ambiental dos EUA retire de seu site menções ao aquecimento global. Mais uma das já inacreditavelmente inúmeras medidas de Trump contra a comunidade científica e que vão contra todo o conhecimento científico acumulado (considerando há quantos dias ele foi empossado).

Espero que todos estejam anotando para as nossas próximas eleições a lição simples: o conservadorismo (considerando os políticos conservadores atuantes na política) é anti-científico.

Não é direita, não é esquerda: antes de continuar lendo este texto, SAIAM dessa dicotomia que os publicitários eleitorais conseguiram inflamar na população brasileira. Parem de limitar o diálogo político à mera distribuição de rótulos. Se eu falo que 1+1=2, me colocar à esquerda ou direita não toca minha afirmação e nem torna minhas premissas e conclusões incorretas; apenas mostra que você é incapaz de fechar um pouco seu manual ideológico e ouvir novas ideias de forma independente.

O conservadorismo possui problemas em sua raiz em relação ao conhecimento científico, à igualdade de gênero, às causas sociais, à separação entre Igreja e Estado e outras, e é por isso que falo abertamente de seus problemas e jamais penso duas vezes para criticá-lo ou fazer piadinha com ele. Meu problema não é com mero o rótulo “conservador”, como se fosse um inimigo invisível. Meu problema com o conservadorismo é com as políticas intrinsecamente antiquadas que essa linha ideológica traz e trouxe ao longo da história mundial – e no Brasil Continuar lendo “Trump e a Ciência: Por que o Conservadorismo não é uma solução para o Brasil”