Fosfoetanolamina não é Eficaz Contra Câncer em Estudos com Pessoas

Fosfoetanolamina não é Eficaz Contra Câncer em Estudos com Pessoas

Há pouco tempo, foi postado no canal Ciência USP este vídeo explicando que, nos estudos com pacientes humanos, a fosfoetanolamina tem se mostrado ineficaz.

Antes de mais nada, lamento muito que os resultados encontrados mostrem a ineficácia da substância para o tratamento de câncer.

Muitas pessoas foram “tratadas” informalmente com essa substância por anos na esperança de obter resultados, e isso deixa claro que muita gente foi prejudicada e não foi levada em conta na criação da narrativa dessa cura milagrosa. Como eu já havia dito, se você só coleta os relatos de quem teve bons resultados e ignora a maioria daqueles que morreram ou viram seu quadro piorar por ter abandonado o tratamento convencional, qualquer substância pode parecer eficaz no tratamento de qualquer doença ou transtorno.

Infelizmente, criou-se uma nova crença em cima dessa substância, e, mesmo com as evidências experimentais de sua ineficácia tendo sido obtidas e publicadas, muita gente continuará dizendo que a ciência ignora curas milagrosas por algum interesse excuso – que até então ninguém consegue explicar qual seria sem recorrer a fábulas sobre Continuar lendo “Fosfoetanolamina não é Eficaz Contra Câncer em Estudos com Pessoas”

Anúncios

Einstein, Pokémon GO e a Verdadeira Geração de Idiotas

Einstein, Pokémon GO e a Verdadeira Geração de Idiotas

“Chegará um dia em que a tecnologia ultrapassará a interatividade humana, e o mundo terá uma geração de idiotas.”

 Segundo o grupo de não-idiotas que certamente verifica as fontes de suas informações antes de compartilhar frases de moralismo no Facebook, essa citação seria de Albert Einstein.

 Ela é tão verdadeira quanto as histórias de que Einstein era um aluno fraco quando jovem, que quando criança teria provado pro seu professor a existência de Deus através de uma comovente (e fisicamente incorreta) historinha de que frio é ausência de calor e escuro é ausência de luz, ou ainda que ele achava que a física quântica era uma bobagem e hoje os místicos estão provando que ele estava errado.

 Qualquer um que admire Albert Einstein o suficiente pra conhecer suas contribuições para a física e também sua personalidade e visões de mundo reconhece sem embaraços o quanto essa citação não faz sentido.

 É bem sabido que o físico alemão ganhou um prêmio Nobel em vida, mas muitos pensam que foi pela Teoria da Relatividade. Esse Nobel foi na verdade Continuar lendo “Einstein, Pokémon GO e a Verdadeira Geração de Idiotas”

O Trabalho Duro de Quem “só estuda”

O Trabalho Duro de Quem “só estuda”

Vi pelas redes este artigo listando estudos que apontam que mais de 40 horas de trabalho semanal são danosos à saúde e contraproducente para os resultados.

Um estudante, seguindo a grade normal, passa pelo menos 25 horas semanais em aula (em geral, é mais). Para estudar em casa o equivalente a uma hora de estudo por hora de aula, já se vão 50 horas – o que não costuma ser suficiente, já que há trabalhos e listas que, sozinhos, tomam mais de dez horas, e boa parte dos professores acha que sua disciplina é especial.

Se for universitário e bolsista, some as 20 horas semanais habituais da legislação, e temos uma pessoa com 70 horas semanais de trabalho, considerada como alguém que “só estuda”. Vale lembrar que a maior parte das bolsas exige dedicação exclusiva, então são 70 horas de trabalho a R$400 obrigatoriamente. E agora temos projetos de lei tentando obrigar bolsistas a também cooperarem em escolas públicas, já que bolsistas são considerados sangue-sugas de impostos por uma parcela grande da população.

Aí fica mais claro porque é que estudantes procuram tanto por “como gerenciar
Continuar lendo “O Trabalho Duro de Quem “só estuda””